Posts

, ,

Restaurante ecológico, uma nova tendência – parte 2

Em nossa última postagem sobre restaurantes ecológicos, definimos do que se tratam tais estabelecimentos e demos dicas sobre os alimentos que devem ser servidos. Agora, passamos para os aspectos mais burocráticos do negócio. Vamos lá?

 

A limpeza e a higiene

Sempre é importante cumprir as normas de vigilância sanitária em restaurantes, bares e cafés, mas como se aplicam estas normas em um restaurante ecológico? Adquira detergentes e sabão ecológicos, e métodos de limpeza tradicionais usados por nossos avôs: sabões artesanais fabricados com vinagre, limão e gordura, etc.

 

A economia de água

Um elemento básico na gestão de um restaurante ecológico é o respeito pelo meio ambiente e a ecologia. Deste ponto de vista, economizar água é essencial para gerir este tipo de restaurante. Quer saber como? [Clique aqui] e contamos em mais detalhes!

 

A economia de eletricidade

Um restaurante ecológico de verdade se preocupa em aproveitar ao máximo os recursos energéticos, sempre dentro da medida do possível. Por que dizemos isto? Porque hoje não é possível contar com eletrodomésticos de frio e calor, maquinário para embalagem à vácuo, maquinas de gelo, cafeteiras e moinhos de café, etc.

Mas o que podemos fazer é escolher eletrodomésticos de baixo consumo, aparelhos que consumam o mínimo de recursos necessários para atender seus clientes, deixando a menor marca possível no meio ambiente que nos rodeia.

 

o mobiliário consciente

Para compor um ambiente que esteja de acordo com a proposta ecológica, é importante pensar em materiais compatíveis com esta ideia. Mesas e cadeiras em madeira maciça, por exemplo, são ótimas escolhas.

Escolha empresas comprometidas com a sustentabilidade, como a Thonart, que entre outras iniciativas, trabalha com madeira proveniente de cultivo próprio, investe em pesquisas para identificar materiais com baixo impacto ambiental, mantém relações éticas com a comunidade onde atua, e mantém em dia suas licenças e cadastros nos órgãos competentes, como a FEPAM e o IBAMA.

 

Em resumo…

O boom de comida saudável, o respeito ao médio ambiente, sustentabilidade e ecologia promovem todo tipo de iniciativas relacionadas à gastronomia – pequenos mercados de agricultores locais, restaurantes veganos e vegetarianos, lojas virtuais de alimentos ecológicos, e, é claro, os restaurantes ecológicos.

A demanda do mercado está aí, você apenas precisa encontrar um bom local, adquirir o maquinário necessário e tomar nota destas dicas que demos para gerenciar um restaurante ecológico.

, ,

Restaurante ecológico, uma nova tendência – parte 1

Abrir um restaurante ecológico é uma ideia de negócio interessante, e um projeto perfeito para os empreendedores que queiram entrar em um nicho de mercado pouco explorado. Mas o que é um restaurante ecológico? O que precisamos saber para abrir este tipo de estabelecimento de forma rentável? O blog Elegância á Mesa vai explicar tudo para você!

 

O que é e o que não é um restaurante ecológico

Um restaurante ecológico se preocupa com o meio ambiente em todos os detalhes: desde a escolha de mobiliário fabricado com materiais sustentáveis (como a madeira), à compra de alimentos saudáveis de procedência local e elaborados com a menor quantidade possível de aditivos, a escolha de equipamento que conservem mais energia, produtos de higiene naturais, etc.

Ser um restaurante ecológico não é apenas pintar as paredes de verde, encher o local de plantas ou oferecer pratos vegetarianos.

 

Como gerenciar um restaurante ecológico

Existem pontos chave para gerenciar um restaurante ecológico de verdade – uma série de conselhos práticos que te ajudarão não apenas a abrir um restaurante deste tipo, mas também como divulga-lo como tal nas redes sociais. Confira:

 

Os produtos

O que distingue um restaurante ecológico de um restaurante “normal” é a escolha dos produtos básicos que você serve a seus clientes. Os alimentos que preenchem sua despensa devem proceder majoritariamente da agricultura, pecuária e pesca local.

Procure não comprar produtos que tenham sido fabricado a mais de 100km de sua localização geográfica e aposte nos pequenos produtores locais, que não usem pesticidas ou químicos para cultivar sua verduras e hortaliças.

A carne é um assunto mais delicado. Gerenciar um restaurante ecológico implica em apostar no tratamento digno dos animais da fazenda, sejam eles terneiros, cordeiros, vacas, galinhas ou porcos. Não é necessário que seu restaurante seja vegetariano ou vegano, mas é preciso que a carne oferecida a seus clientes provenha de locais onde os animais tenham sido criados da forma mais humana e digna possível.

 

Em nossa próxima postagem sobre o assunto, vamos tratar mais alguns aspectos muito importantes para seu restaurante ecológico – aguarde!